Pesquisar
Close this search box.

HIGHLIGHTS BRASPEN 2023

11/17/2023

No mês de outubro de 2023, Campinas, São Paulo, sediou o Congresso Brasileiro de Nutrição Enteral e Parenteral, a BRASPEN, um evento de destaque que reuniu renomados profissionais da área para discutir avanços e inovações cruciais para a prática clínica.

A atualização da Diretriz BRASPEN para pacientes graves foi um dos pontos discutidos. Especial atenção foi dada às atualizações em relação às doses de oferta energética e proteica ao paciente crítico, sendo recomendado a realização da progressão desse aporte de forma gradual, respeitando as diferentes fases do paciente crítico. Além dessa atualização, constaram a inclusão de novos tópicos, como o direcionamento de cuidado aos pacientes com trauma e queimados.

Uma das discussões centrais do congresso girou em torno do estado nutricional do paciente oncológico, onde foram abordados assuntos como a avaliação da baixa massa magra enfatizando que esse é o principal problema enfrentado pelo paciente com câncer e, que essa característica é um preditor independente da má função física, como na sarcopenia ou caquexia, e da progressão do câncer. A prevalência global é de mais de 50% das pessoas com câncer apresentam baixa massa muscular e esse fenômeno ocorre independente do peso corporal ou da massa gorda. Foi enfatizado nessa discussão sobre a importância desse diagnóstico precoce para que sejam tomadas ações de reforço nutricional a partir desse momento e, não esperar o paciente apresentar a perda de função física para esse início. Como medidas foram destacados sobre as prescrições ideais de necessidade calórica em torno de 25-30kcal/kg, aporte proteico de 1,2 a 1,5g/kg e administração de leucina, vitamina D, reforço da prática do exercício físico, entre outros.

Ainda sobre oncologia, foram apresentados estudos sugerindo que a microbiota intestinal desempenha um papel crucial na manutenção da massa magra nesse público e, também em indivíduos idosos. A ação estudada mostrou que metabólitos como AGCC (Ácidos Graxos de Cadeia Curta), produzidos por meio da fermentação de carboidratos e fibras solúveis, influenciam o metabolismo de lipídios, carboidratos e proteínas em tecidos musculares esqueléticos, por meio da possibilidade da ativação da AMPK (Proteína Quinase Ativada por Monofosfato de Adenosina) que estimula a biogênese mitocondrial, aumentando o fluxo sanguíneo e a sensibilidade à insulina nesses tecidos, favorecendo a retenção da massa muscular.

Ainda sobre os efeitos da microbiota, também foram discutidos achados sobre a modulação intestinal na eficácia da imunoterapia em pacientes oncológicos. As últimas

pesquisas e descobertas apresentadas trouxeram evidências de que uma das principais maneiras pela qual a microbiota modula a imunidade antitumoral é por meio de metabólitos e que esses metabólitos, como por exemplo a inosina, são capazes de melhorar a eficácia dos inibidores de controle imunológico agindo nos receptores de adenosina em linfócitos T melhorando a sua ação, e esses principais achados foram demonstrados principalmente em modelos de câncer intestinal, de bexiga e melanoma, em estudos em animais. Outro metabólito bastante importante seria a formação de AGCC, onde a sua presença no intestino é capaz de estimular a formação de muco e isso favorece à integridade da mucosa intestinal, impedindo a permeabilidade intestinal e graus de inflamação sistêmica, direcionando os linfócitos T a apresentarem uma ação mais direcionada à imunidade antitumoral.

Outro destaque foi a importância da atenção contínua ao aporte nutricional após a saída da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Um estudo prospectivo teve a intenção de descrever a ingestão de energia e proteínas durante o período pós internação na UTI e achados mostraram que apenas 50% dos pacientes atingem 90% das metas proteicas após a UTI enquanto que, pacientes que permaneciam com a SNE de forma suplementar tinham mais chances de atingirem 90% ou mais das metas proteicas sugeridas, indicando que a cessação da NE representou risco nutricional imediato à esses pacientes, demonstrando também que esse público demorava, em média, 6 dias para atingir novamente a meta proteica quando em alimentação por via oral de forma exclusiva. A manutenção da sonda para nutrição foi enfatizada como uma indicação vital para garantir um aporte nutricional adequado, contribuindo para a recuperação eficaz e a melhoria da qualidade de vida pós-internação.

Ainda nessa mesa, foi abordado sobre as maiores chances de reinternação em 30 dias, para aqueles pacientes cirúrgicos, desnutridos e sarcopênicos, relacionado à necessidade de reforçar planos de alta que instruem a atenção nutricional por meio da terapia nutricional oral após a internação hospitalar, como indicado pelo próprio ACERTO. Completando as discussões dessa mesa, deu-se destaque ao público idoso, os quais são os indivíduos com maiores prevalências de diagnósticos de risco nutricional e/ou desnutrição, relacionada à uma multiplicidade de fatores de riscos existentes nessa população devido à idade avançada, como o comprometimento sensorial, atraso no esvaziamento gástrico, distúrbios de motilidade, diminuição de hormônios como grelina, e alterações do sistema de recompensa no sistema nervoso central, prejudicando a percepção do prazer associado à alimentos palatáveis, destacando-se assim, a necessidade de maior atenção com essa faixa etária, sendo inquestionável a necessidade de terapia nutricional precoce.

O Congresso Brasileiro de Nutrição Enteral e Parenteral de 2023 proporcionou uma plataforma rica em conhecimento, reafirmando a importância da nutrição adequada em diversas condições de saúde.

Além do conteúdo de palestras, a equipe Científica da Prodiet, em parceria com instituições e profissionais apresentou quatro resumos.

DIAMAXIG

No primeiro estudo, realizado em parceria com a Universidade Federal de Goiás, foi avaliado o impacto da suplementação do DiamaxIG no controle glicêmico de um paciente com Diabetes tipo 2.

Trata-se de um relato de caso de uma paciente, de 23 anos, do sexo feminino, com o diagnóstico de Diabetes Mellitus tipo 2. O estudo teve uma duração de 12 dias, sendo 5 dias de intervenção com o uso do suplemento DiamaxIG, 1x ao dia, em substituição ao café da manhã, seguidos de 2 dias de washout (momento em que foi feita a suspensão terapêutica) e seguidos de mais 5 dias de avaliação da paciente com a sua refeição habitual. A glicemia foi monitorada por meio do sensor Libre®. Oestudo mostrou que durante o uso do DiamaxIG a paciente apresentou aumento do tempo no alvo e a redução do tempo fora do alvo, bem como redução da glicemia média, concluindo que o uso do suplemento oral especializado contribuiu para um adequado controle glicêmico da paciente.

ENERGYZIP

O segundo resumo, realizado em parceria com a UPA de Olinda diz sobre a recuperação do estado nutricional em um paciente com quadro de fraqueza adquirida na unidade de terapia intensiva (FAUTI) após quadro de Covid-19.

Esse estudo relatou o caso de um paciente de 39 anos, do sexo masculino, com história de internação prévia e prolongada na UTI após complicações da Covid-19. O paciente apresentava-se emagrecido, peso de 29,6Kg, com sinais de perda da bola gordurosa de Bichat, condições dentárias precárias, xerostomia e desidratado. Após admissão na UPA – Olinda, foi iniciado a suplementação com Energyzip 2x ao dia, fornecendo de forma facilitada para esse paciente 600Kcal a mais diariamente, por um período de 12 dias, o que resultou numa evolução positiva dos parâmetros físicos e antropométricos, passando a pesar 31,2Kg.

O estudo concluiu que o uso da suplementação nutricional oral promoveu a resposta positiva na recuperação nutricional desse paciente, apesar do curto período de intervenção.

ENERGYZIP SENIOR

Estudo realizado em parceria com o Residencial Geriátrico Lar doce Lar (RS) avaliou o impacto da suplementação oral com Energyzip Senior na recuperação do estado nutricional de uma paciente idosa longeva.

Trata-se de um relato de casode uma paciente de 91 anos, do sexo feminino, residente de uma ILPI (Instituição de Longa Permanência para Idosos). Inicialmente a paciente se apresentava desnutrida, com IMC de 18,5kg/m², quando foi iniciada suplementação de Energyzip Senior, com 222kcal/dia. A paciente apresentou 100% de aceitação do suplemento, mostrando com isso uma evolução nutricional após os 90 dias de suplementação, atingindo IMC = 22,6kg/m², ou seja, a eutrofia. O uso da suplementação oral contribuiu com resultados positivos no ganho de peso e recuperação nutricional da paciente. Além disso, anteriormente ao início da suplementação a paciente apresentava um hábito intestinal irregular, com constipação, que melhorou após a suplementação, uma vez que, a presença de fibras na formulação do Energyzip Senior pode ter contribuído para a melhora do hábito intestinal.

PEPTIMAX

O último estudo, realizado em parceria com o Hospital Hans Dieter (SC), descreve o relato de dois casos de pacientes que apresentavam diarreia persistente e já estavam em uso de dieta oligomérica sistema fechado, sem melhora do quadro.

Como protocolo da instituição do estudo, nesses casos padronizou-se a prescrição da fórmula oligomérica especializada em pó (Peptimax – Prodiet Medical Nutrition).

Após a troca para dieta oligomérica Peptimax os pacientes apresentaram melhora do quadro diarreico, considerando que a utilização do Peptimax pode ter sido fundamental para a melhora do quadro, devido a sua composição com Triglicerídeos de cadeia média, proteína hidrolisada e glutamina, além da flexibilidade de manuseio quanto ao tempo de infusão e osmolaridade.

Gostou? Compartilhe:

plugins premium WordPress
Conversar pelo WhatsApp
Prodiet em Casa
Olá 👋
Precisando de ajuda?
Conte com o Prodiet em Casa!
Pular para o conteúdo